Idiomas

  • ISSN (online): 1678-4774
  • ISSN (printed): 1676-2444

Artigos Relacionados

5 resultado(s) para: mixoma renal; rim; mixoma; neoplasia renal

Tumor epitelial-estromal misto do rim: relato de caso

Karla Lais Pêgas; Eduardo Cambruzzi; Roque D. Furian; Antônio A. Hartmann; Suzana Elisabeth Lamonatto; Júlia M. Zanatta; Kárita Guimarães; Elizete Keitel; Giovani Thomaz Pioner

J. Bras. Patol. Med. Lab. 2015;51(1):39-43

RESUMO

O tumor epitelial e estromal misto (TESM) representa uma neoplasia renal bifásica descrita recentemente que afeta predominantemente mulheres na perimenopausa. Os autores relatam o caso de um paciente jovem, do sexo masculino, com TESM exibindo positividade para receptores de estrogênio e progesterona. A tomografia computadorizada/ressonância magnética (TC/RM) mostrou lesão expansiva no rim direito. Ao exame macroscópico, identificou-se tumor sólido-cístico medindo 5,7 × 3,5 × 2,4 cm. À microscopia, foi encontrado tumor bifásico constituído por elementos estromais e epiteliais, sem atipias significativas. O componente estromal era composto por células fusiformes, exibindo imunoexpressão positiva para actina, desmina, vimentina e receptores de estrogênio. Os elementos epiteliais mostraram padrão predominantemente tubular e exibiram imunorreação positiva para citoqueratinas. O diagnóstico de TESM foi então estabelecido.

Palavras-chave: rim; neoplasias; tumor misto epitelial e estromal; patologia; imuno-histoquímica.

 

ABSTRACT

Mixed epithelial and stromal tumor (MEST) represents a recently described biphasic kidney neoplasm, which predominantly affects perimenopausal females. The authors report the case of a young male patient with a MEST exhibiting positivity for estrogen and progesterone receptors. Computed tomography/magnetic resonance imaging (CT/MRI) showed an expansive lesion affecting the right kidney. Grossly, a solid-cystic tumor was identified, which measured 5.7 × 3.5 × 2.4 cm. On microscopic examination, a biphasic tumor constituted by stromal and epithelial elements, without significant atypias, was identified. The stromal element was composed of spindle cells revealing positive immunoexpression for actin, desmin, vimentin, and estrogen receptors. The epithelial component exhibited a predominantly tubular pattern showing positive immunoreaction for cytokeratins. The diagnosis of MEST was then established.

Palavras-chave: rim; neoplasias; tumor misto epitelial e estromal; patologia; imuno-histoquímica.

 

Mixoma renal: relato de caso

Carlos Henrique C Souza; Kennedy S. Carneiro; Katia R. M. Leite; Alcendino A. Junior; Fredwilson S. Costa

J. Bras. Patol. Med. Lab. 2015;51(2):113-116

RESUMO

Mixomas são tumores raros que podem ser encontrados em muitas localizações anatômicas. Na literatura, há apenas 14 casos de acometimento renal. Neste artigo, é relatado um caso de mixoma renal em mulher idosa com cistites de repetição. Após cinco anos de acompanhamento, a tomografia computadorizada (TC) evidenciou grande massa tumoral sólida em rim esquerdo. Realizou-se exérese do tumor preservando o restante do rim afetado com diagnóstico histopatológico de mixoma renal. O objetivo deste trabalho é relatar um caso raro de mixoma renal, enfatizando a importância do diagnóstico diferencial de outros tumores mesenquimais benignos e malignos.

Palavras-chave: mixoma renal; rim; mixoma; neoplasia renal.

 

ABSTRACT

Myxomas are rare tumors that can appear in many anatomical locations. There are only 14 cases of renal involvement documented in the literature. This article reports a case of renal myxoma in an elderly woman with recurrent cystitis. After five years of follow-up, the computed tomography (CT) revealed a large solid tumor mass in the left kidney. Tumor resection was performed preserving the affected kidney with histopathological diagnosis of renal myxoma. The objective of this study is to report a rare case of renal myxoma, emphasizing the importance of the differential diagnosis from other benign and malignant mesenchymal tumors.

Palavras-chave: mixoma renal; rim; mixoma; neoplasia renal.

 

Imunossupressão e ocorrência de HPV em pacientes transplantados renais a partir de exame citológico urinário

Rogéria M. Leon; Alana D. Ranzi; Graziele S. Fardin; Elizete Keitel; Rosicler Luzia Brackmann; João Carlos Prolla; Claudia G. Bica

J. Bras. Patol. Med. Lab. 2016;52(1):25-30

RESUMO

INTRODUÇÃO: O papilomavírus humano (HPV) é a principal causa de câncer de colo do útero, e a imunossupressão é reconhecida como fator de risco para infecção pelo HPV e sua persistência. Após o transplante renal, agentes imunossupressores são usados para evitar rejeição, mas predispõem o receptor a infecções crônicas e doenças malignas.
OBJETIVO: Este trabalho teve como objetivo verificar, a partir do exame citológico urinário, a prevalência do HPV em pacientes transplantados renais imunossuprimidos.
MATERIAL E MÉTODO: Neste estudo transversal, a população foi composta por pacientes transplantados renais que fizeram o exame de rotina citológico urinário no período de agosto de 2012 a agosto de 2014.
RESULTADOS: Realizaram-se 2.305 exames citopatológicos de urina. Foram observados 13 pacientes com presença de coilócitos no referido exame. A frequência relativa de pacientes com HPV detectado na urina foi de 0,56%. No intervalo até o primeiro ano pós-transplante, 10 (76,92%) pacientes apresentaram coilócitos (p < 0,0001) no exame citológico urinário (ECU). As dosagens de imunossupressores até a primeira consulta pós-transplante, que demonstraram correlação com o período entre o transplante e o primeiro ECU com presença de coilócito (p < 0,0001), foram prednisona 10,5-20 mg/dia, micofenolato de sódio 901-1.440 mg/dia e tacrolimo 4,5-12 mg/dia.
CONCLUSÃO: Este estudo mostrou a imunossupressão como um fator de risco importante para infecção pelo HPV ou sua reativação. O acompanhamento por meio do ECU pós-transplante pode evidenciar a infecção por HPV.

Palavras-chave: imunossupressão; transplante de rim; fatores de risco; infecções por papilomavírus.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: Human papillomavirus (HPV) is the main cause of cervical cancer, and immunosuppression is recognized as a risk factor for HPV infection and its persistence. After renal transplantation, immunosuppressive agents are used to prevent rejection, but predispose recipients to chronic infections and malignancies.
OBJECTIVE: This study aimed to verify, based on urinary cytology (UC), the prevalence of HPV in immunosuppressed kidney transplant patients.
MATERIAL AND METHOD: In this cross-sectional study, the population was composed of kidney transplant patients that had undergone routine UC from August 2012 to August 2014.
RESULTS: There were 2,305 urine cytopathological tests. Thirteen patients with presence of koilocytes in such examination were observed. Therefore, the relative frequency of patients with HPV detected in urine was 0.56%. In the interval until the first post-transplant year, 10 (76.92%) patients presented koilocytes (p < 0.0001) in the UC. The dosages of immunosuppressive agents until the first post-transplant consultation, which showed correlation with the period between transplantation and the first UC test with the presence of koilocytes (p < 0.0001), were prednisone 10.5-20 mg/day, mycophenolate sodium 901-1,440 mg/day, and tacrolimus 4.5-12 mg/day.
CONCLUSION: This study showed immunosuppression as an important risk factor for infection by HPV or its reactivation. Screening UC tests after transplantation may evidence HPV infection.

Palavras-chave: imunossupressão; transplante de rim; fatores de risco; infecções por papilomavírus.

 

Angiomixoma agressivo de vagina: um relato de caso

Matheo Augusto M. Stumpf; Rebecca S. M. Stival; Alexandre B. Merlini; Fábio P. Mansani; Janicelli B. C. H. Silvestre; Isabela B. Mongruel; Mário R. Montemór Netto

J. Bras. Patol. Med. Lab. 2016;52(1):35-38

RESUMO

O angiomixoma agressivo (AA) é uma neoplasia rara de origem mesenquimal, caráter infiltrativo e altas taxas de recidiva local. Apresentamos o caso de uma paciente de 42 anos com nódulo no canal vaginal, submetida à biópsia excisional. A avaliação histopatológica demonstrou proliferação fusocelular mixoide na região subepitelial, e a análise imuno-histoquímica revelou positividade para CDK4, CD34, desmina e receptores de estrogênio e progesterona. Os marcadores S100 e actina de músculo liso foram negativos, o que corroborou o diagnóstico de AA. Devido às altas taxas de recidiva, optou-se por acompanhamento ambulatorial pelos dois anos subsequentes.

Palavras-chave: neoplasias; imuno-histoquímica; genitália feminina; mixoma.

 

ABSTRACT

Aggressive angiomyxoma (AAM) is a rare infiltrative tumor of mesenchymal origin that has high rates of local recurrence. We present the case of a 42-year-old patient with a lump in the vaginal canal, treated with excisional biopsy. Histopathologic evaluation revealed myxoid spindle-cell proliferation in the subepithelial region, and immunohistochemical analysis was positive for CDK4, CD34, desmin, estrogen and progesterone receptors. The markers S100 and smooth muscle actin were negative, what corroborated the diagnosis of AAM. Because of its high recurrence rates, we opted for outpatient follow-up during the two subsequent years.

Palavras-chave: neoplasias; imuno-histoquímica; genitália feminina; mixoma.

 

Expressão de CD64 em polimorfonucleares como potencial marcador para o monitoramento da replicação do citomegalovírus humano após transplante renal

Fabiana R. Carvalho; Natalia F. Rosário; Cintia F. Souza; Veronica Schmitz; Fabiana A. Pinto; Luis Guillermo C. Velarde; Jocemir Ronaldo Lugon; Jorge R. Almeida; Andrea Alice da Silva

J. Bras. Patol. Med. Lab. 2017;53(2):119-123

RESUMO

A infecção por citomegalovírus humano (CMVH) é a principal causa de morbidade em receptores de transplante renal. Este estudo pretende investigar se a expressão de CD64 em polimorfonucleares (PMN) é útil para a detecção de infecção por CMVH em 11 receptores renais durante 60 dias. Do total de pacientes, nove foram positivos para antigenemia pp65 e para CMVH por reação em cadeia da polimerase quantitativa (qPCR), todos apresentando neutrófilos circulantes que expressam CD64 3-4 semanas antes do pico de antigenemia pp65. Esses resultados sugerem que a quantificação de PMN CD64 em conjunto com a antigenemia pp65 pode ser útil para o diagnóstico precoce de HCMV no pós-transplante.

Palavras-chave: citomegalovírus; receptores de IgG; transplante de rim; neutrófilos.

 

ABSTRACT

Human cytomegalovirus (HCMV) infection is the main cause of morbidity in kidney transplant recipients. This study aims to investigate if CD64 expression on polymorphonuclear (PMN) cells is useful for the detection of HCMV infection in eleven kidney recipients during sixty days. From the total patients, nine were positive for both pp65 antigenemia and HCMV by quantitative polymerase chain reaction (qPCR), all of which had circulating neutrophils expressing CD64 3-4 weeks prior to pp65 antigenemia peak. These results suggest that quantification of PMN CD64 together with pp65 antigenemia could be useful for the early diagnosis of HCMV after transplantation.

Palavras-chave: citomegalovírus; receptores de IgG; transplante de rim; neutrófilos.

 

Indexadores