Idiomas

  • ISSN (online): 1678-4774
  • ISSN (printed): 1676-2444

Artigos Relacionados

7 resultado(s) para: contagem de reticulócitos; citometria de fluxo; plaquetas

A importância da imunofenotipagem por citometria de fluxo na distinção entre hematogônias e linfoblastos B

Aline B. Wohlfahrt; Laura Hannel; Liliane Z. Oliveira; Pâmela B. Soares; José Edson P. Silva

J. Bras. Patol. Med. Lab. 2015;51(1):7-12

RESUMO

As hematogônias são precursores normais de linhagem linfoide B da medula óssea. Os linfoblastos B representam células imaturas neoplásicas presentes em pacientes portadores de leucemia linfoblástica aguda de células precursoras B (LLA-B). As hematogônias e os linfoblastos B apresentam características comuns, como a semelhança morfológica muitas vezes indistinguível e a expressão dos mesmos antígenos na análise imunofenotípica. O aumento de hematogônias em pacientes de LLA-B durante a regeneração da medula após o tratamento para leucemia, em casos de recaída da doença ou transplante medular, pode ser objeto de questionamentos quanto à natureza e ao prognóstico desta célula imatura. Este artigo apresenta informações sobre as características morfológicas e imunofenotípicas dos precursores linfoides B e verifica a relevância da imunofenotipagem por citometria de fluxo na distinção entre essas células. Essa diferenciação é essencial para estabelecer um correto prognóstico e auxiliar na decisão médica sobre o esquema terapêutico mais adequado.

Palavras-chave: hematogônias; linfoblastos B; leucemia linfoblástica aguda; citometria de fluxo; imunofenotipagem.

 

ABSTRACT

Hematogones are normal B-lineage lymphoid precursors in the bone marrow. B lymphoblasts are immature neoplastic cells present in patients with precursor B-cell acute lymphoblastic leukemia (B-ALL). Hematogones and B lymphoblasts share characteristics, such as morphological similarity often indistinct and expression of the same antigens in immunophenotypic analysis. Increased numbers of hematogones in patients with B-ALL during regeneration of bone marrow after treatment for leukemia, in cases of disease relapse or marrow transplantation, may be subject to questions about the nature and prognosis of this immature cell. This article presents information about the morphological and immunophenotypic characteristics of B lymphoid precursors and verifies the relevance of immunophenotyping by flow cytometry (FC) in the distinction between those cells. This differentiation is essential to establish a correct prognosis and assist in medical decision about the most appropriate therapeutic scheme.

Palavras-chave: hematogônias; linfoblastos B; leucemia linfoblástica aguda; citometria de fluxo; imunofenotipagem.

 

Recomendações para garantia da qualidade em citometria de fluxo multiparamétrica: primeiro consenso do Grupo Brasileiro de Citometria de Fluxo (GBCFLUX)

Rodolfo P. Correia; Ana Carolina A. Bortolucci; Annelise C. W. Lopes; Alex F. Sandes; Ana Paula de Azambuja; Marta A. Viana; Maria M. Sales; Mihoko Yamamoto; Nydia S. Bacal (on behalf of GBCFLUX)

J. Bras. Patol. Med. Lab. 2015;51(6):389-396

RESUMO

O Grupo Brasileiro de Citometria de Fluxo (GBCFLUX), fundado em 24 de abril de 2010, é composto por especialistas da área de citometria de fluxo (CF) que possuem o objetivo comum de contribuir para avanços técnico-científicos em laboratórios clínicos e de pesquisa brasileiros. Entre os grupos de trabalho do GBCFLUX, o subcomitê de Controle de Qualidade (CQ) é responsável por discutir dados da literatura e contribuir para a garantia da qualidade do processo pré-analítico, analítico e pós-analítico em CF. As ações do subcomitê de CQ iniciaram-se por meio de reuniões e palestras, nas quais dados da literatura foram revisados e discutidos com todos os membros participantes do GBCFLUX. Em uma segunda etapa, definiu-se elaborar um texto de recomendações consensuais técnicocientíficas, informativas e educativas para divulgação a todos os grupos que trabalham com CF no Brasil. Para tanto, foi elaborado um questionário com respostas objetivas, sendo enviado para 35 instituições brasileiras cadastradas, com a finalidade de avaliar o perfil de CQ dessas instituições. Dessa forma, as recomendações técnico-científicas de CQ que serão descritas neste artigo de atualização têm o objetivo de contribuir para a garantia da qualidade do processo, a padronização técnica e a reprodutibilidade dos resultados em CF.

Palavras-chave: citometria de fluxo; controle de qualidade.

 

ABSTRACT

The Brazilian Group of Flow Cytometry (Grupo Brasileiro de Citometria de Fluxo [GBCFLUX]), founded on April 24, 2010, is composed of experts in flow cytometry (FC) area who have the common objective of contributing to technical and scientific advances in Brazilian clinical and research laboratories. Among GBCFLUX working groups, the Quality Control (QC) subcommittee is responsible for discussing data in the literature and contributes to the quality assurance of the pre-analytical, analytical and post-analytical process in FC. The QC subcommittee's actions began through meetings and lectures, in which data from the literature were reviewed and discussed with all participating members of the GBCFLUX. In a second step, it was decided to draw up a text of technical and scientific consensus recommendations, informative and educative, for dissemination to all FC working groups in Brazil. To this effect, a questionnaire with objective responses was designed and sent to 35 recognized Brazilian institutions, in order to evaluate the QC profile of these institutions. Thus, the QC technical-scientific recommendations, which will be described in this updating article, are intended to ensure the process quality, technical standardization, and reproducibility of results in FC.

Palavras-chave: citometria de fluxo; controle de qualidade.

 

Os índices plaquetários são úteis na avaliação de pacientes diabéticos tipo 2?

Kamilla R. Alhadas; Sandra N. Santos; Marcela Mara S. Freitas; Sophia Mara S. A. Viana; Luiz Cláudio Ribeiro; Mônica B. Costa

J. Bras. Patol. Med. Lab. 2016;52(2):96-102

RESUMO

INTRODUÇÃO: O desenvolvimento das complicações crônicas relacionadas com diabetes mellitus representa a principal causa de mortalidade nesse grupo de indivíduos. Estudos recentes sugerem que plaquetas com morfologia alterada poderiam estar associadas ao aumento do risco de complicações vasculares no diabetes.
OBJETIVO: Avaliar os índices plaquetários em diabéticos, correlacionando-os com as complicações micro e macrovasculares da doença.
MATERIAIS E MÉTODOS: Foi realizada a análise de índices plaquetários e dados bioquímicos de pacientes atendidos nos ambulatórios de um hospital universitário. Foram incluídos indivíduos com idade entre 30 e 60 anos, sendo 100 diabéticos (grupo DM) e 100 não diabéticos (grupo-controle).
RESULTADOS: Observou-se elevação do plaquetócrito: 0,21 ± 0,054% versus 0,20 ± 0,045% (p = 0,020); do volume plaquetário médio (VPM): 8,69 ± 1,288 fl versus 8,27 ± 1,244 fl (p = 0,018); e da distribuição de plaquetas (PDW): 17,8 ± 1,06 fl versus 17,5 ± 0,87 fl (p = 0,039), nos grupos DM e controle, respectivamente. Os valores de VPM, plaquetócrito e PDW apresentaram-se mais elevados entre os indivíduos com complicações do diabetes mellitus tipo 2 (DM2) (p < 0,001). Naqueles com complicações macrovasculares, observou-se correlação entre os níveis de hemoglobina glicada (A1C) e VPM (p = 0,015) e PDW (p = 0,009). Entre os pacientes com complicações microvasculares, observou-se correlação entre a plaquetometria e o VPM com os níveis de A1C (p < 0,001).
CONCLUSÃO: Os dados do presente estudo apontam para diferenças significativas nos índices plaquetários em pacientes com DM2, sugerindo presença de plaquetas mais reativas e agregáveis nesse grupo de indivíduos. Tais resultados sugerem que a avaliação plaquetária pode ser útil na detecção precoce de complicações crônicas em diabéticos, sobretudo por ser ferramenta de fácil obtenção e baixo custo.

Palavras-chave: plaquetas; diabetes mellitus; hiperglicemia; volume plaquetário médio.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: Long-term complications of diabetes mellitus are a leading cause of death in people with diabetes. Recent studies suggest that platelets with altered morphology could be associated with an increased risk for developing vascular complications in diabetes.
OBJECTIVE: To evaluate the platelet parameters in diabetic patients and correlate these indices with microvascular and macrovascular complications of the disease.
MATERIALS AND METHODS: We analyzed platelet parameters and biochemical data of patients seen in outpatient clinics of a university hospital. Individuals aged between 30 and 60 years were included, 100 patients with type 2 diabetes mellitus (T2DM) (DM group) and 100 non-diabetic patients (control group).
RESULTS: We observed increase in plateletcrit (PCT): 0.21 ± 0.054% vs 0.20 ± 0.045% (p = 0.020); in mean platelet volume (MPV): 8.69 ± 1.288 fl vs 8.27 ± 1.244 fl (p = 0.018); and in platelet distribution width (PDW): 17.8 ± 1.06 fl vs 17.5 ± 0.87 fl (p = 0.039) in the DM and control groups, respectively. Values of MPV, PCT, and PDW were higher among patients with complications of T2DM (p < 0.001). In those with macrovascular disease, we observed a correlation between glycated hemoglobin (A1C) and MPV (p = 0.015) and PDW (p = 0.009) levels. Among patients with microvascular complications, there was a correlation between platelet count and MPV with A1C levels (p < 0.001).
CONCLUSION: The study findings point to significant differences in platelet parameters in patients with T2DM, suggesting the presence of more reactive and aggregatable platelets in this group of individuals. These results suggest that platelet evaluation may be useful in the early detection of long-term complications in diabetic patients, considering that it is a simple and low-cost tool.

Palavras-chave: plaquetas; diabetes mellitus; hiperglicemia; volume plaquetário médio.

 

Avaliação da interferência de plaquetas na contagem de reticulócitos por citometria de fluxo, utilizando laranja de tiazol

Karina Augusta Viana; Olindo A. Martins Filho; Luci Maria S. Dusse; Lis R. V. Antonelli; Danielle M. V. Avelar; Renato S. Avelar; Maria das Graças Carvalho

J. Bras. Patol. Med. Lab. 2016;52(3):142-148

RESUMO

INTRODUÇÃO: A contagem de reticulócitos por citometria de fluxo (CF) - um método de contagem automatizada - pode apresentar erros devido à presença de interferentes, contribuindo para uma ligeira elevação dos resultados. No entanto, os métodos automatizados possuem grandes vantagens em relação ao manual, tido como referência, o que justifica esforços para a melhoria de sua qualidade.
OBJETIVO: Avaliar a interferência de plaquetas na contagem de reticulócitos por CF, utilizando laranja de tiazol (thiazole orange [TO]) (CF/TO).
MATERIAIS E MÉTODOS: O método de contagem de reticulócitos por CF/TO e um método equivalente automatizado modificado, no qual se excluíram células CD61-positivas (plaquetas) da análise (CF/TO/MOD), foram comparados com o método manual.
CONCLUSÃO: Os resultados foram analisados de acordo com as recomendações do Clinical and Laboratory Standards Institute (CLSI) para avaliar a intercambialidade entre os métodos, por meio da análise de regressão linear e do teste t pareado. A exclusão de interferentes da análise dos resultados pelo método modificado demonstrou maior proximidade dos resultados com aqueles do método de referência.

Palavras-chave: contagem de reticulócitos; citometria de fluxo; plaquetas.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: The reticulocyte count by flow cytometry (FC) - an automated counting method - can present errors due to the presence of interfering factors, contributing to a slight increase in results. However, automated methods have large advantages over the manual method, taken as reference, what justifies efforts to improve their quality.
OBJECTIVE: Evaluate platelet interference with the reticulocyte count by FC, using thiazole orange (TO) (FC/TO).
MATERIALS AND METHODS: The method of reticulocyte count by FC/TO and a modified automated equivalent method, which excluded CD61-positive cells (platelets) from analysis (FC/TO/MOD), were compared to the manual method.
CONCLUSION: Results were analyzed according to the recommendations of the Clinical and Laboratory Standards Institute (CLSI) to assess interchangeability between the methods, by linear regression analysis and paired t-test. The exclusion of interfering fragments from result analysis by the modified method produced results in closer proximity to those of the reference method.

Palavras-chave: contagem de reticulócitos; citometria de fluxo; plaquetas.

 

Pseudotrombocitopenia: incidência e estratégia para resolução em laboratório de análises clínicas

Romário F. Prates; Robson C. Viana; Márcio V. Oliveira; Claudio L. Souza

J. Bras. Patol. Med. Lab. 2017;53(6):382-387

RESUMO

INTRODUÇÃO: A pseudotrombocitopenia constitui importante fonte de problemas pré-analíticos no laboratório clínico, por isso deve ser corretamente avaliada. Baixas contagens de plaquetas espúrias podem levar a suspeitas diagnósticas equivocadas.
OBJETIVO: Este estudo se propôs a estudar a resolução da pseudotrombocitopenia na rotina de laboratório de análises clínicas pela padronização do uso de vortex.
MÉTODOS: Trata-se de um estudo transversal analítico e quantitativo, apresentando-se dentro de uma abordagem de cunho experimental, o qual envolveu 45 amostras pseudotrombocitopênicas divididas em três grupos e submetidas a agitação com vortex nos tempos de 1, 2 e 3 minutos.
RESULTADOS: Durante a realização do estudo, foram realizados 28.435 hemogramas, sendo 56 (0,196%) amostras confirmadas com a presença de agregados plaquetários. Os tempos de 2 e 3 minutos normalizaram a contagem de plaquetas (maior que 150.000/µl), em dois terços das amostras testadas. Plaquetas, índice de hemólise, amplitude de distribuição das plaquetas (PDW) e volume plaquetário médio (VPM) apresentaram diferença de média estatisticamente significativa (p < 0,05) após o tratamento com vortex em todos os tempos testados.
CONCLUSÃO: Os tempos de 2 e 3 minutos foram os mais eficazes na resolução da pseudotrombociopenia, contudo, o tempo de 2 minutos deve ser utilizado por ter produzido menores efeitos sobre a membrana eritrocitária.

Palavras-chave: trombocitopenia; contagem de plaquetas; técnicas de laboratório clínico; automação laboratorial.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: Pseudothrombocytopenia is an important source of pre-analytical problems in clinical laboratory; therefore it must be correctly evaluated. Low spurious platelet counts can lead to misdiagnosis.
OBJECTIVE: This study aims to study the resolution of pseudothrombocytopenia in the laboratory routine of clinical laboratory by standardizing the use of vortexer.
METHODS: This is a cross-sectional, analytical, quantitative study based on experimental approach, involving 45 pseudothrombocytopenia samples divided into three groups and submitted to vortexing for 1, 2 and 3 minutes.
RESULTS: During the study, 28,435 blood counts were performed, and 56 (0.196%) of these samples confirmed platelet aggregates. The 2 and 3 minute times normalized the platelet count (greater than 150,000/µl) in two thirds of the samples tested. Platelets, hemolysis index, platelet distribution width (PDW) and mean platelet volume (MPV) presented statistically significant mean difference (MD) (p < 0.05) after vortexing at all times.
CONCLUSION: The 2 and 3-minute times were the most effective in the resolution of pseudothrombocytopenia, however, the 2 minutes time should be preferred because it produced fewer effects on the erythrocyte membrane.

Palavras-chave: trombocitopenia; contagem de plaquetas; técnicas de laboratório clínico; automação laboratorial.

 

Aplicação do índice de relação aspartato aminotransferase sobre plaquetas (APRI) na diferenciação de infecção primária e secundária pelo vírus da dengue

Suellen R. Martins, Melina B. Pinheiro, Luci Maria S. Dusse, Ana Paula L. Mota, Patrícia N. Alpoim

J. Bras. Patol. Med. Lab. 2018;54(5):273-278

RESUMO

INTRODUÇÃO: A infecção pelo vírus da dengue (DENV) é considerada um grande problema de saúde pública nos países tropicais. A indisponibilidade de testes sorológicos em centros de saúde pública pode afetar negativamente o prognóstico do paciente.
OBJETIVO: Este estudo teve como objetivo avaliar a precisão do volume médio de plaquetas (MPV) e o índice da relação de aspartato aminotransferase (AST) sobre plaquetas (APRI) como marcadores laboratoriais de infecção por DENV, que poderiam ser utilizados para diferenciar infecções primárias e secundárias.
MÉTODOS: Foram avaliados os resultados laboratoriais de 503 pacientes com teste rápido positivo para infecção por DENV.
RESULTADOS: Foram observadas trombocitopenia grave e disfunção hepática em pacientes com infecção secundária heterogênea por DENV. Nossos dados sugerem que o APRI foi capaz de distinguir os pacientes com infecção primária e secundária (p = 0,006), com relevante sensibilidade (75%) e especificidade (76%) e corte de 1,06. Um total de 80 de 105 (76%) pacientes com infecção primária por DENV tinha APRI ≤ 1,06; e 12 (75%) com infecção secundária por DENV, APRI > 1,06. Por outro lado, o MPV não mostrou significância na diferenciação de tipos de infecção, apresentando baixo valor da área sob a curva de característica de operação do receptor (ROC) (0,61).
CONCLUSÃO: APRI parece ser uma ferramenta poderosa para identificação precoce de casos de infecção secundária de DENV em centros de saúde.

Palavras-chave: dengue; aspartato aminotransferases; diagnóstico; contagem de plaquetas.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: Dengue virus (DENV) infection has been considered a major public health problem in tropical countries. The unavailability of serologic testing in public health centers might adversely impact patients’ outcome.
OBJECTIVE: This study aimed to evaluate the accuracy of mean platelet volume (MPV) and aspartate aminotransferase (AST) to platelet ratio index (APRI) as laboratory markers of DENV infection that could be used to differentiate primary and secondary infections.
METHODS: We assessed laboratory results from 503 patients with positive rapid test for DENV infection.
RESULTS: Severe thrombocytopenia and increased liver involvement were observed in patients with DENV heterotypic secondary infection. Our data suggest that APRI was able to distinguish patients with primary and secondary infection (p = 0.006) with a relevant sensitivity (75%), specificity (76%) and a cut-off of 1.06. A total of 80 out of 105 (76%) patients with primary DENV infection had APRI ≤ 1.06, and 12 (75%) with secondary DENV infection had APRI > 1.06. On the other hand, MPV did not show significance in the differentiation of types of infection, coming up with poor area under the receiver operating characteristic (ROC) curve (0.61).
CONCLUSION: APRI seems to be a powerful tool for early identification of DENV secondary infection cases in health centers.

Palavras-chave: dengue; aspartato aminotransferases; diagnóstico; contagem de plaquetas.

 

Desempenho do citômetro de fluxo Aquios CL na quantificação automatizada de subpopulações linfocitárias

Laiz C. Bento; Rodolfo P. Correia; Eduardo C. Pedro; Anderson M. Alexandre; Andressa C. Vaz; Daniela Schimidell; Rodrigo S. Barroso; Nydia S. Bacal

J. Bras. Patol. Med. Lab. 2019;55(4):378-389

RESUMO

A citometria de fluxo (CF) é uma ferramenta importante para diagnóstico, prognóstico e acompanhamento terapêutico de diversas neoplasias hematológicas. Além disso, possibilita a quantificação das subpopulações linfocitárias (SPL) para assistência diagnóstica e monitoramento das imunodeficiências primárias e adquiridas por meio das expressões antigênicas de CD19 e CD20 para linfócitos B; CD2, CD3, CD4 e CD8 para linfócitos T; e CD56 e CD16 para identificação de células natural killer (NK). A técnica de CF revolucionou a maneira como as células são identificadas e, ao longo dos anos, essa plataforma tem progredido com diversos avanços em hardware e software que visam melhorar o fluxo de trabalho, resultando em maior produtividade, qualidade e redução de custos. O Aquios CL – Beckman Coulter (BC) é um exemplo desse avanço, pois é um equipamento de automação completa em CF (denominado Load & Go flow cytometer) para quantificação de SPL na rotina diagnóstica. Neste estudo, o Aquios CL foi validado, e a quantificação em números relativos e absolutos das subpopulações linfocitárias teve uma excelente correlação com os resultados obtidos pela quantificação em plataforma dupla realizada no Cytomics FC500 (BC) e no analisador automatizado de células Sysmex XE-2100.

Palavras-chave: Aquios CL; citometria de fluxo; subpopulação linfocitária; CD4/CD8.

 

ABSTRACT

Flow cytometry (FC) is an essential tool for diagnosis, prognosis and therapeutic follow-up of several hematologic malignancies. In addition, it performs the quantification of lymphocytes subpopulations for diagnosis and monitoring of primary and acquired immunodeficiencies through the antigenic expressions of CD19 and CD20 for B lymphocytes; CD2, CD3, CD4, CD8 for T lymphocytes; and CD56 and CD16 for the identification of natural killer (NK) cells. The cytometry technique has revolutionized the way that the cells are identified, and over the years this platform has progressed with several advances in hardware and software that aim to improve workflow resulting in higher productivity, quality and cost savings. The Aquios CL – Beckman Coulter (BC) is an example of this advance because it is a complete automation instrument in flow cytometry called “Load & Go flow cytometer” for quantification of lymphocyte subpopulations in the routine diagnosis. In this study, the Aquios CL was validated, and quantification in frequency and absolute numbers of the lymphocyte subpopulations had an excellent correlation with the results obtained by the dual platform quantification performed in the Cytomics FC500 (BC) and automated Sysmex XE-2100 cell analyzer.

Palavras-chave: Aquios CL; citometria de fluxo; subpopulação linfocitária; CD4/CD8.

 

RESUMEN

La citometría de flujo (CF) es una herramienta importante para diagnóstico, pronóstico y seguimiento terapéutico de diversas neoplasias hematológicas. Además, posibilita la cuantificación de las subpoblaciones linfocitarias (SPL) para asistencia diagnóstica y monitoreo de las inmunodeficiencias primarias y adquiridas a través de las expresiones antigénicas de CD19 y CD20 para linfocitos B; CD2, CD3, CD4 y CD8 para linfocitos T; y CD56 y CD16 para identificación de células natural killer (NK). La CF ha revolucionado la manera como las células son identificadas y, a lo largo de los años, esa plataforma ha progresado con diversos avances en hardware y software que aspiran a mejorar el flujo de trabajo resultando en mayor productividad, calidad y reducción de costos. El Aquios CL Beckman Coulter (BC) es un ejemplo de ese avance, pues es un instrumento de automación completa en CF (llamado Load & Go flow cytometer) para cuantificación de SPL en la rutina diagnóstica. En este estudio el Aquios CL fue validado, y la cuantificación en números relativos y absolutos de las subpoblaciones linfocitarias tuvo una excelente correlación con los resultados obtenidos por la cuantificación en plataforma dupla realizada en el Cytomics FC500 (BC) y en el analizador automatizado de células Sysmex XE-2100.

Palavras-chave: Aquios CL; citometria de fluxo; subpopulação linfocitária; CD4/CD8.

Indexadores