Idiomas

  • ISSN (online): 1678-4774
  • ISSN (printed): 1676-2444

Artigos Relacionados

4 resultado(s) para: coleta de amostras sanguíneas; gestão de qualidade; segurança do paciente

Autoverificação do contador de células automatizado de sangue (CBC) em um laboratório de referência em Bogotá, Colômbia

Oscar Martinez-Nieto; Adriana Lozano-Gaitán; Paola Beltrán-Diaz; Ivan Leonardo Mojica-Figueroa; Olga Lucia Morales-Reyes; Mario A. Isaza-Ruget

J. Bras. Patol. Med. Lab. 2015;51(6):369-375

RESUMO

INTRODUÇÃO: O laboratório clínico é parte do grupo de atores nos sistemas de saúde, que são cada vez mais pressionados por usuários e administradores para aumentar sua produtividade a fim de responder de forma eficiente ao aumento do volume de pacientes, otimizando custos e tempo dos funcionários. Essa pressão forçou laboratórios para efetuar uma revisão completa de seus procedimentos, bem como desenvolver instrumentos técnicos, logísticos e computacionais para permitir excelentes tempos de resposta.
OBJETIVO: Neste estudo, a implementação do processo automatizado de autoverificação do hemograma e seu impacto sobre a segurança do paciente são avaliados.
MÉTODOS: Regras de verificação foram construídas no software de conectividade com base em critérios de validação manual dos profissionais de laboratório, de acordo com as orientações do Clinical and Laboratory Standards Institute (CLSI) de Guideline Auto10-A e do International Consensus Group for Hematology Review (ISLH). A percentagem de autoensaio foi estabelecida e as de produtos não conformes (PNC), estimadas antes e depois do procedimento. Testes piloto foram realizados em dias diferentes para ajustar o processo.
RESULTADOS: Cinquenta e três por cento da autoverificação dos hemogramas automatizados foram alcançados e, posteriormente, na auditoria dos 18 meses, foram obtidos 60% devido a ajustes na verificação do filtro delta programado. Os PNCs aumentaram de 0,065% a 0,0036% desde o início até ao final do processo.
CONCLUSÃO: O processo do autoverificação ajudou a reduzir a variabilidade associada à intervenção humana, portanto o profissional pode concentrar-se na análise de relatórios patológicos, reduzindo o risco de erros e dando maior importância para a segurança do paciente.

Palavras-chave: algoritmos; interfase; processamento automatizado de dados; contagem de células sanguíneas; segurança do paciente; testes laboratoriais.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: The clinical laboratory is part of the group of actors in health systems that are under increasing pressure by users and administrators to increase their productivity in order to respond efficiently to the increased volume of patients, optimizing costs and professional time. This pressure forced laboratories to perform a full review of their procedures and develop technical, logistical and computational tools to enable excellent response times.
OBJECTIVE: This study aimed to evaluate the implementation of the automated blood cell counter autoverification process and its impact on the safety of patients.
METHODS: Verification rules were designed in the connectivity software, based on manual validation criteria for laboratory professionals, according to the guidelines of the Clinical and Laboratory Standards Institute (CLSI) Guideline Auto10-A and the International Consensus Group for Hematology Review (ISLH). The autoverification percentage was established, and non-conforming product (NCP) percentages were estimated before and after the procedure. Pilot tests were also performed in different days so as to adjust the process.
RESULTS: 53.4% of automated blood cell counters autoverification were achieved, and, subsequently in the audit of 18 months, 60% was reached due to verification adjustments in the delta programmed filter. The NCPs rose from 0.065% to 0.0036% from the beginning to the end of the process.
CONCLUSION: The autoverification process enabled to reduce the variability associated with human intervention, therefore the professional is able to focus on the pathological report analysis, reducing the risk of errors and advocating greater importance on patient safety.

Palavras-chave: algoritmos; interfase; processamento automatizado de dados; contagem de células sanguíneas; segurança do paciente; testes laboratoriais.

 

Descrição dos indicadores da qualidade definidos pelo Laboratório de Referência Nacional em Tuberculose do CRPHF/Ensp/Fiocruz por meio da metodologia de mapeamento de processos

Aila Maronna; Renata A. Souza; Fatima Cristina O. F. Montes

J. Bras. Patol. Med. Lab. 2017;53(3):165-176

RESUMO

INTRODUÇÃO: O Laboratório de Referência Nacional (LRN) em Tuberculose (TB) é uma unidade laboratorial de excelência técnica altamente especializada que tem desenvolvido projetos envolvendo a capacitação de recursos humanos e o aprimoramento de técnicas fundamentais para o diagnóstico da TB. Seu propósito é a melhoria contínua de todos os processos laboratoriais e a sua gestão da qualidade, com o intuito de colaborar e fortalecer as ações na rede que o integram no auxílio à vigilância e no combate da TB.
OBJETIVOS: Esta pesquisa tem a finalidade de descrever os indicadores da qualidade que foram definidos por meio do método de mapeamento de processos, com o objetivo de promover e elevar o nível da qualidade e da confiabilidade dos diferentes processos laboratoriais realizados no LRN em TB.
MÉTODO: Para a definição dos indicadores, foi utilizado o mapeamento de processos que, por meio de fluxogramas, pode estabelecer e determinar os indicadores mais adequados para o LRN em TB. Após a definição desses indicadores, eles foram descritos com seus respectivos títulos, medidas preventivas e corretivas, importância e metas.
RESULTADOS: Os resultados da pesquisa sugerem que os indicadores estabelecidos são fundamentais para os processos do laboratório, visto que melhoram a gestão da qualidade.
CONCLUSÃO: Por intermédio deste estudo, buscamos incentivar e impulsionar os gestores envolvidos no campo da TB e no campo da saúde sobre a utilidade e a necessidade de controlar e medir os processos, podendo padronizá-los com a ajuda dos indicadores ou outras ferramentas da qualidade.

Palavras-chave: indicadores de qualidade em assistência à saúde; qualidade total; gestão de qualidade total; tuberculose.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: The National Reference Laboratory (LRN) in Tuberculosis (TB) is a laboratory unit of highly specialized technical excellence that has developed projects involving training in human resources and the enhancement of techniques essential for the diagnosis of TB. Its purpose is the continuous improvement of all laboratory processes and their quality management, with the purpose of collaborating on and strengthening the actions in the network that integrate it in the aid of surveillance and in the fight against TB.
OBJECTIVES: This research aims to describe the quality indicators that were defined through the process mapping methodology, with the objective of promoting and raising the level of quality and reliability of the different laboratory processes performed at LRN in TB.
METHOD: For the definition of indicators, process mapping was used which, through flow charts, can establish and determine the most appropriate indicators for LRN in TB. After defining these indicators, they were described with their respective titles, preventive and corrective measures, importance and goals.
RESULTS: The results of the research suggest that the established indicators are fundamental for the laboratory processes, since they improve quality management.
CONCLUSION: Through this study, we seek to encourage and impel the managers involved in the field of TB and in the field of health on the utility and the need to control and measure processes, being able to standardize them with the help of indicators or other quality tools.

Palavras-chave: indicadores de qualidade em assistência à saúde; qualidade total; gestão de qualidade total; tuberculose.

 

Estudo de harmonização de resultados entre analisadores bioquímicos Labmax 240® e Labmax 240 Premium®

Luisa D. Scapin; Vanessa P. Ramos; Marion de Marco; Rodrigo P. Siqueira; Rejane G. Tavares

J. Bras. Patol. Med. Lab. 2018;54(3):158-163

RESUMO

INTRODUÇÃO: No laboratório clínico, é recomendável a harmonização de equipamentos que visem à homogeneidade dos resultados, quando analisadores similares ou equivalentes são utilizados para desempenho da rotina de realização dos testes.
OBJETIVOS: Realizar um estudo de equivalência entre os analisadores bioquímicos Labmax 240® (E1) e Labmax 240 Premium® (E2).
MATERIAIS E MÉTODOS: Foram avaliados os testes glicose (GLI), colesterol total (COL), triglicerídeos (TRI), ácido úrico (AU), aspartato aminotransferase (AST), alanina aminotransferase (ALT) e lactato desidrogenase (LDH), todos com 40 dosagens repetidas, realizadas em ambos os equipamentos. O protocolo do Clinical and Laboratory Standards Institute (CLSI) EP09-3A foi utilizado para conduzir o teste de comparação, com posterior avaliação dos resultados pela análise estatística no software EP Evaluator® , com determinação do coeficiente de correlação de Pearson (r) e comparação de índices de erro.
RESULTADOS: Em relação aos valores do coeficiente de correlação de Pearson, todos os testes apresentaram forte correlação entre os equipamentos, com r > 0,989, exceto para a dosagem de LDH (r = 0,982), que foi reprovada, não em função do valor de r, mas devido aos valores obtidos em relação ao índice de erro, o qual é maior do que os índices de erro total permitido.
DISCUSSÃO: Diante dos critérios clínicos, os resultados dos analisadores são aproximadamente iguais, porém esse controle do processo deve ser feito continuamente a fim de impedir e rastrear erros aleatórios dentro da rotina laboratorial.
CONCLUSÃO: O processo de harmonização de múltiplos equipamentos que realizam os mesmos parâmetros laboratoriais é fundamental para a garantia da qualidade e da confiabilidade dos resultados laboratoriais, devendo ser padronizado e incluído na rotina dos laboratórios de análises clínicas.

Palavras-chave: controle de qualidade; gestão de qualidade; equipamentos para diagnóstico; automação laboratorial.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: The harmonization of equipment is recommended in clinical laboratory practice aiming for the homogeneity of results when similar or equivalent analyzers are used to perform routine testing.
OBJECTIVES: To conduct a study of equivalence between the biochemical analyzers Labmax 240® (E1) and Labmax 240 Premium® (E2) through the matching results and the statistical value analysis of dosages.
MATERIALS AND METHODS: We evaluated tests with glucose, total cholesterol, triglycerides, uric acid, aspartate transaminase (AST), alanine transaminase (ALT) and lactate dehydrogenase (LDH), all with 40 repeated measurements, performed in both equipments. The Clinical and Laboratory Standards Institute (CLSI) EP09-3A protocol was used to conduct the comparison test between E1 and E2 equipment, with subsequent evaluation of the results for statistical analysis determining the Pearson correlation coefficient (r) and indexes comparison error with EP Evaluator® software.
RESULTS: Regarding the values of the Pearson correlation coefficient, all tests showed a strong correlation between equipment with r > 0.989, except for the dosage of LDH (r = 0.982). This dosage failed not because the value of r, but due to the values obtained in the error index being larger than the total errors index allowed.
DISCUSSION: Compared to clinical criteria, the results of the analyzers are approximately equal, but this control process must be done continuously in order to prevent and track random errors within the laboratory routine.
CONCLUSION: The process of harmonization of multiple devices that perform the same laboratory parameters is essential for ensuring quality and reliability of laboratory results and should be standardized and included in routine clinical analysis laboratories.

Palavras-chave: controle de qualidade; gestão de qualidade; equipamentos para diagnóstico; automação laboratorial.

 

Avaliação da fase pré-analítica de um laboratório de análises clínicas

Jéssica M. Martins; Elayne Cristina M. Rateke; Flávia Martinello

J. Bras. Patol. Med. Lab. 2018;54(4):232-240

RESUMO

INTRODUÇÃO: A fase pré-analítica abrange os procedimentos antes da execução dos testes laboratoriais, sendo eles a requisição, o cadastro de clientes e exames, a coleta e o transporte de amostras. Essa fase envolve diferentes profissionais e é responsável pela maioria dos erros de laboratório.
OBJETIVO: Analisar a fase pré-analítica de um laboratório público por meio de indicadores da qualidade (IQ).
MÉTODO: As não conformidades (NC) nas requisições e no cadastro dos clientes e dos exames foram avaliadas durante o processo de checagem. Foi aplicado um questionário para avaliar o atendimento e a satisfação dos clientes do laboratório. Os IQ foram calculados considerando o número de NC nos processos em relação ao total de oportunidades, comparando-os com as especificações encontradas na literatura e avaliando-os pela métrica Sigma.
RESULTADOS: A fase pré-analítica foi avaliada por 34 IQ. Desses, 18 apresentaram Sigma menor que 3,0; seis, entre 3,0 e 4,0; seis, acima de 4,0; e quatro, Sigma 6,0. O preenchimento das requisições apresentou pior desempenho do que o processo de cadastro dos exames. Em relação às três etapas da fase pré-analítica avaliadas, a que apresentou pior desempenho foi o agendamento, seguido do atendimento na recepção e da coleta.
CONCLUSÃO: A avaliação dos IQ permitiu ordenar as melhorias que devem ser priorizadas no laboratório. A métrica Sigma foi útil para avaliar IQ, considerados importantes para o laboratório, para os quais não há especificações publicadas. O questionário de avaliação do atendimento e da satisfação do cliente não se mostrou uma ferramenta confiável para avaliar a qualidade da fase pré-analítica.

Palavras-chave: gestão em saúde; gestão de qualidade; serviços laboratoriais de saúde pública; laboratórios; indicadores; qualidade total.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: The pre-analytical phase encompasses the procedures prior to the performance of the laboratory tests, which are the physician’s requisition, patient and tests registration, collection and transport of samples. This phase involves different professionals and is responsible for the majority of the laboratory errors.
OBJECTIVE: To assess the pre-analytical phase of a public laboratory through quality indicators (QI).
METHOD: Nonconformities (NC) in the physician’s requisitions and in the patients and tests registrations were evaluated during the quality checking process. A questionnaire was applied to evaluate the service and the satisfaction of the laboratory’s client. The QI were calculated considering the number of NC in the processes in relation to the total opportunities, compared with specifications described in the literature and evaluated by the Sigma metric.
RESULTS: The pre-analytical phase was evaluated by 34 QI. From these, 18 presented Sigma score lower than 3.0, six between 3.0 and 4.0, six above 4.0 and four presented Sigma score of 6.0. The completiton of requisitions presented worse performance than the process of tests registration. Regarding the three stages of the pre-analytical phase evaluated, the scheduling presented the worst performance, followed by the service at the reception and the sample collection.
CONCLUSION: The evaluation of the QI allowed organizing the improvements that should be prioritized in the laboratory. The Sigma metric was useful for assessing the QIs considered important to the laboratory, for which there are no published specifications. The questionnaire for evaluating the laboratory’s service and client’s satisfaction was not a reliable tool for assessing the quality of the pre-analytical phase.

Palavras-chave: gestão em saúde; gestão de qualidade; serviços laboratoriais de saúde pública; laboratórios; indicadores; qualidade total.

 

Indexadores