Idiomas

  • ISSN (online): 1678-4774
  • ISSN (printed): 1676-2444

Artigos Relacionados

8 resultado(s) para: Acinetobacter baumannii; carbapenêmicos; betalactamases

Primeira detecção de metalobetalactamases em isolados nosocomiais de Pseudomonas aeruginosa em Alagoas, Brasil

Emmily M. L. R. Barros; Viviane M. S. Morais; Karina C. B. Castro; Alice R. Orsi; Fernanda C. A. Maranhão; Zenaldo P. Silva; Denise M. W. Silva

J. Bras. Patol. Med. Lab. 2015;51(5):291-295

RESUMO

INTRODUÇÃO: Pseudomonas aeruginosa é a principal causa de infecções oportunistas em seres humanos, e a escolha de agentes antimicrobianos eficazes para controlar essa bactéria tem sido limitada, principalmente devido à sua capacidade de produzir metalobetalactamases (MβL), enzimas capazes de inativar muitos antimicrobianos por meio de hidrólise.
OBJETIVO: Este estudo objetivou detectar a presença de cepas de P. aeruginosa multirresistentes e os genes codificadores de MβL (blaSPM, blaIMP e blaVIM) em isolados nosocomiais em Maceió (AL).
MÉTODOS: Os isolados foram coletados de quatro instituições públicas/hospitais em Maceió, e as culturas foram identificadas por métodos convencionais. A sensibilidade aos antibióticos foi determinada pelo método de disco-difusão de acordo com o Clinical and Laboratory Standards Institute (CLSI), e a reação em cadeia da polimerase (PCR) utilizada para identificar a presença de genes que codificam MβL - blaSPM, blaIMP e blaVIM.
RESULTADOS: Quarenta e três cepas de P. aeruginosa foram multirresistentes entre os 85 isolados nosocomiais identificados (50,6%); destes, 79,1% e 20% foram resistentes aos carbapenêmicos (imipenem e meropenen) e ao aztreonam, respectivamente. A PCR foi realizada em isolados suscetíveis ou resistentes, e nós identificamos nove (20,9%) cepas multirresistentes com gene blaSPM, enquanto apenas uma possuía blaIMP e nenhuma blaVIM positiva foi encontrada.
CONCLUSÃO: A produção de MβL é um importante mecanismo de resistência aos carbapenêmicos e a outros betalactâmicos entre cepas de P. aeruginosa nas amostras avaliadas. Relatamos a primeira identificação de genes codificadores de MβL em P. aeruginosa de ambiente hospitalar de Maceió, uma nova visão para a epidemiologia de MβL na região Nordeste do Brasil.

Palavras-chave: Pseudomonas aeruginosa; carbapenêmicos; betalactamases.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: Pseudomonas aeruginosa is a leading cause of opportunistic infections in humans, and the choice of effective antimicrobial agents to control this bacterium has been limited, mainly due to its ability to produce metallo-β-lactamases (MβL), enzymes capable of inactivating many antimicrobials through hydrolysis.
OBJECTIVE: This study aimed to detect the presence of multidrug-resistant (MDR) P. aeruginosa strains and the MβL-encoding genes (blaSPM, blaIMP and blaVIM) in nosocomial isolates in Maceió (AL).
METHODS: The isolates were collected from four public institutions/hospitals in Maceió, and cultures were identified by conventional methods. Antibiotic susceptibility was determined by the disk diffusion method according to the Clinical and Laboratory Standards Institute (CLSI), and polymerase chain reaction (PCR) was used to identify the presence of the MβL-encoding genes blaSPM, blaIMP and blaVIM.
RESULTS: Forty-three strains of P. aeruginosa were MDR among 85 identified nosocomial isolates (50.6%), 79.1% and 20% of which were resistant to carbapenem (imipenem and meropenem) and aztreonam, respectively. PCR was performed in susceptible or resistant isolates and we identified nine (20.9%) MDR strains with blaSPM gene, whereas only one strain had blaIMP and none blaVIM positive was found.
CONCLUSION: Production of MβL is an important mechanism of resistance to carbapenems and other β-lactams among P. aeruginosa strains in the evaluated samples. We reported the first identification of MβL-encoding genes in P. aeruginosa from nosocomial environments in Maceió, a new insight for the epidemiology of MβL in the Northeastern region of Brazil.

Palavras-chave: Pseudomonas aeruginosa; carbapenêmicos; betalactamases.

 

Emergência de Acinetobacter baumannii resistente a polimixina B em hospitais do Rio de Janeiro

Gabrielle L. Genteluci; Daniela B. C. Gomes; Maria José de Souza; Karyne R. Carvalho; Maria Helena S. Villas-Bôas

J. Bras. Patol. Med. Lab. 2016;52(2):91-95

RESUMO

INTRODUÇÃO: Acinetobacter baumannii tem sido considerado um patógeno prevalente nos hospitais, gerando preocupação na comunidade médica por conta de seu extenso espectro de resistência aos antimicrobianos. Por ser um assunto que desperta muito interesse, tem sido cada vez mais estudado. Devido à emergência de bactérias Gram-negativas resistentes a múltiplas drogas (MDR), o uso de polimixinas foi reestabelecido. As polimixinas têm sido consideradas a única opção para o tratamento de infecções graves causadas por A. baumannii MDR.
OBJETIVO: Investigar o perfil de suscetibilidade de A. baumannii à polimixina B.
MATERIAL E MÉTODO: Foram estudados 92 isolados clínicos provenientes de dois hospitais da rede pública do município do Rio de Janeiro por meio da técnica de microdiluição em caldo.
RESULTADOS: A maioria dos isolados foi resistente à polimixina B, 81,5% (n = 75), apresentando valores de concentração inibitória mínima (CIM) entre 4-64 mcg/ml.
CONCLUSÃO: Esses resultados são preocupantes, já que atualmente as polimixinas têm sido consideradas a opção terapêutica mais eficaz contra isolados de A. baumannii MDR.

Palavras-chave: resistência microbiana a medicamentos; Acinetobacter baumannii; polimixina B; infecção hospitalar.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: Acinetobacter baumannii has been considered a prevalent pathogen in hospitals, raising concern in the medical community due to its broad spectrum of antimicrobial resistance. Since it is a subject that arouses much interest, it has been increasingly studied. Due to the emergence of multidrug-resistant (MDR) Gram-negative bacteria, the use of polymyxins was reestablished. The polymyxins have been considered the only option for the treatment of severe infections caused by MDR A. baumannii.
OBJECTIVE: To investigate the susceptibility profile of A. baumannii to polymyxin B.
MATERIAL AND METHOD: 92 clinical isolates from two public hospitals in the Rio de Janeiro city were studied using broth microdilution method.
RESULTS: Most of the isolates were resistant to polymyxin B, 81.5% (n = 75), and minimum inhibitory concentration (MIC) values ranged between 4-64 mcg/ml.
CONCLUSION: These results are a concern since currently the polymyxins have been considered the most effective therapeutic option against MDR isolates of A. baumannii.

Palavras-chave: resistência microbiana a medicamentos; Acinetobacter baumannii; polimixina B; infecção hospitalar.

 

Detecção de genes de resistência a antimicrobianos em Klebsiella pneumoniae produtoras de betalactamases e carbapenemases por culturas de vigilância de pacientes em uma unidade de terapia intensiva no Rio de Janeiro, Brasil

Claudia Flores; Célia Maria C. P. A. Romão; Kayo Bianco; Catia Chaia de Miranda; Angela Breves; Ana Paula S. Souza; Rosana Maria R. Santos; Bianca O. Fonseca; Ivano de Filippis; Maysa M. Clementino

J. Bras. Patol. Med. Lab. 2016;52(5):284-292

RESUMO

INTRODUÇÃO: O aumento da incidência de microrganismos multirresistentes é considerado um dos principais problemas de saúde pública. Uma das rotinas incluídas na prática hospitalar é a busca de pacientes colonizados e/ou infectados.
OBJETIVO: Avaliar a variabilidade genética e as relações clonais de K. pneumoniae produtoras de betalactamases de espectro estendido (ESBL) em culturas de vigilância de unidade de terapia intensiva (UTI) no Rio de Janeiro, Brasil.
MATERIAIS E MÉTODOS: Setenta isolados obtidos a partir de swab retal, (março/2013 a março/2014). O perfil de suscetibilidade a antibióticos foi avaliado pelo sistema VITEK 2. Foram pesquisados os genes de resistência: blaSHV, blaTEM, blaOXA-1, blaKPC, blaOXA-48, blaCTX-M-15, blaVIM, blaIMP e blaNDM pela reação em cadeia da polimerase (PCR). A diversidade genética foi avaliada por Enterobacterial Repetitive Intergenic Consensus-PCR (ERIC-PCR).
RESULTADOS: Foram detectados altos percentuais de resistência a cefepime (94%), ceftazidima (96%), ertapenem (61%), imipenem (54%) meropenem (43%) e ciprofloxacino (69%). Os genes prevalentes foram: blaSHV (69%), blaTEM (63%), blaOXA-1 (60%), blaKPC (57%), blaCTX-M-15 (47%), blaOXA-48 (16%). Os genes blaVIM, blaIMP e blaNDM não foram detectados. Foram observados 29 perfis em relação aos genes de resistência, com 23% apresentando pelo menos cinco genes. Uma grande diversidade genética (68 perfis) foi observada entre as cepas.
CONCLUSÃO: Embora não tenha sido observada relação clonal entre os isolados, este estudo revelou dados alarmantes quanto à resistência microbiana em monitoramento preventivo, abordagem ainda pouco adotada no Brasil. Nossos dados permitem concluir que a inclusão de culturas de vigilância nas unidades de saúde é uma estratégia recomendada, visando principalmente à prevenção da disseminação dos genes de resistência no ambiente hospitalar e, consequentemente, redução da morbimortalidade.

Palavras-chave: infecção hospitalar; monitoramento epidemiológico; Klebsiella pneumoniae; betalactamases; tipagem molecular.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: The increasing incidence of multi-resistant microorganisms has been considered a public health problem. One of the routines included in hospital practice is the screening of colonized and/or infected patients.
OBJECTIVE: The aim of this study was to evaluate the genetic variability and clonal relationships of extended-spectrum beta-lactamase (ESBL)-producing K. pneumoniae, from surveillance cultures, at an intensive care unit, in Rio de Janeiro, Brazil.
MATERIAL AND METHODS: Seventy K. pneumoniae isolates were obtained from rectal swabs (March 2013 to March 2014). Antimicrobial susceptibility was assessed by VITEK 2 System. Resistant genes blaSHV, blaTEM, blaOXA-1, blaKPC, blaOXA-48, blaCTX-M-15, blaVIM, blaIMP and blaNDM were investigated by polymerase chain reaction (PCR); genetic diversity, by Enterobacterial Repetitive Intergenic Consensus-PCR (ERIC-PCR).
RESULTS: Strains showed high resistance rates to cefepime (94%), ceftazidime (96%), ertapenem (61%), imipenem (54%) meropenem (43%) and ciprofloxacin (69%). The most prevalent genes were blaSHV (69%), blaTEM (63%), blaOXA-1 (60%), blaKPC (57%), blaCTX-M-15 (47%), blaOXA-48 (16%). Genes blaVIM, blaIMP and blaNDM were not detected. Twenty nine profiles of resistance genes were observed, with 23% carrying at least five genes. A great genetic diversity (68 ERIC profiles) was also observed among the strains.
CONCLUSION: Although no clonal relationship was observed within the isolates, this study revealed alarming data on the antimicrobial resistance deficiently monitored for preventive purposes in Brazil. Our data allow us to conclude that the inclusion of surveillance cultures in health facilities is a recommended strategy aiming particularly at preventing the spread of resistance genes in the hospital environment and, consequently, reducing morbidity and mortality.

Palavras-chave: infecção hospitalar; monitoramento epidemiológico; Klebsiella pneumoniae; betalactamases; tipagem molecular.

 

Acinetobacter baumannii resistente aos carbapenêmicos no Brasil: perfil de suscetibilidade e diversidade de oxacilinases

Lisiane Rocha; Mariana Pagano; Juliana C. Campos; Jorge Luiz M. Sampaio; Andreza F. Martins; Afonso Luis Barth

J. Bras. Patol. Med. Lab. 2017;53(6):358-361

RESUMO

INTRODUÇÃO: O complexo Acinetobacter calcoaceticus-baumannii (ABC) inclui cinco espécies, sendo A. baumannii a mais importante clinicamente por carrear muitos mecanismos de resistência aos carbapenêmicos, sobretudo as oxacilinases.
OBJETIVOS: Os objetivos deste estudo foram identificar as espécies do complexo ABC, avaliar o perfil de suscetibilidade e investigar a presença de oxacilinases em isolados resistentes aos carbapenêmicos provenientes de quatro estados brasileiros.
MÉTODOS: No período do estudo, foram coletados 92 isolados do Rio Grande do Sul (RS), do Rio de Janeiro (RJ), do Paraná (PR) e de São Paulo (SP). Os isolados foram identificados por matrix-assisted laser desorption ionization-time of fight mass spectrometry (MALDI-TOF MS) e sequenciamento do gene gyrB. A avaliação da suscetibilidade foi realizada por disco-difusão e microdiluição de caldo. A presença de oxacilinases foi realizada por reação em cadeia da polimerase (PCR) multiplex in house.
RESULTADOS: Noventa e um (99%) isolados foram identificados como A. baumannii por MALDI-TOF e pelo sequenciamento. A maioria dos isolados (56; 61%) apresentou resistência aos seis agentes antimicrobianos testados. Três isolados foram resistentes à polimixina B [concentração inibitória mínima (CIM) ≥ 4 µg/ml). Oitenta (87%) isolados foram positivos para OXA-23 e 12, (13%) para OXA-24.
CONCLUSÃO: Nossos resultados confirmam a disseminação do gene blaOXA-23 no Brasil e sugerem a recente emergência e disseminação do gene blaOXA-24, uma vez que ele foi identificado em três dos quatro estados amostrados.

Palavras-chave: Acinetobacter baumannii; carbapenêmicos; betalactamases.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: The Acinetobacter calcoaceticus-baumannii (ABC) complex includes five species, and the A. baumannii is the most important of them because it carries mechanisms of carbapenems resistance, especially the oxacillinases.
OBJECTIVES: The objectives of this study were to identify the species of the ABC complex, to evaluate the susceptibility profile and to investigate the presence of oxacillinases in carbapenems-resistant isolates from four Brazilian States.
METHODS: In the study period, 92 isolates from Rio Grande do Sul (RS), Rio de Janeiro (RJ), Paraná (PR) and São Paulo (SP) were collected. The isolates were identified by matrix-assisted laser desorption ionization-time of fight mass spectrometry (MALDI-TOF MS) and sequencing of gyrB gene. Evaluation of susceptibility was performed by disk diffusion and broth microdilution. The presence of oxacillinases was performed by in-house multiplex polymerase chain reaction (PCR).
RESULTS: Ninety-one (99%) isolates were identified as A. baumannii by MALDI-TOF and sequencing. The majority of isolates (56; 61%) showed resistance to the six antimicrobial agents tested. Three isolates were resistant to polymyxin B [minimum inhibitory concentration (MIC) ≥ 4 µg/ml). Eighty (87%) isolates were positive to OXA-23-like, and twelve (13%) isolates to OXA-24-like.
CONCLUSION: Our findings confirm the knowledge about the dissemination of the blaOXA-23 gene in Brazil and suggest the recent emergence and spread of blaOXA-24 gene, since it was identified in three of the four sampled states.

Palavras-chave: Acinetobacter baumannii; carbapenêmicos; betalactamases.

 

Frequência e perfil de suscetibilidade aos carbapenêmicos de bastonetes Gram-negativos não fermentadores de glicose isolados de amostras clínicas entre 2007 e 2012

Milena Cristina de Paula; Rachel M. Monteiro; Pedro C. A. Domingues; Paula Regina S. Hermann; Denise de Andrade; Adriano M. Ferreira; Evandro Watanabe

J. Bras. Patol. Med. Lab. 2018;54(1):5-8

RESUMO

INTRODUÇÃO: Um dos grandes problemas nos serviços de saúde é a ocorrência de infecções relacionadas com assistência à saúde (IRAS) por microrganismos resistentes a vários antimicrobianos.
OBJETIVOS: Descrever a frequência e o perfil de suscetibilidade de Pseudomonas aeruginosa e Acinetobacter baumannii aos carbapenêmicos no hospital da Fundação Santa Casa de Franca, São Paulo, Brasil.
MÉTODOS: Retrospectivamente, a suscetibilidade de P. aeruginosa e A. baumannii aos carbapenêmicos foi analisada em 304 isolados clínicos entre 2007 e 2012, a partir de um banco de dados do setor de microbiologia do laboratório clínico do hospital da Fundação Santa Casa de Franca, São Paulo, Brasil.
RESULTADOS: Das cepas isoladas e identificadas, 236 (5,3%) P. aeruginosa eram suscetíveis a imipenem (2007 - 69,6% a 2012 - 41,7%) e meropenem (2007 - 63,3% a 2012 - 25%). Além disso, todos os 68 (1,7%) isolados de A. baumannii eram suscetíveis aos dois antibióticos.
CONCLUSÃO: Não foi identificada resistência de A. baumannii aos carbapenêmicos, no entanto houve diminuição da suscetibilidade aos carbapenêmicos no decorrer dos anos para P. aeruginosa.

Palavras-chave: carbapenêmicos; resistência microbiana a medicamentos; Pseudomonas aeruginosa; Acinetobacter baumannii.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: One of the major problems in health services is the occurrence of healthcare-associated infections (HAIs) by microorganisms resistant to various antimicrobials.
OBJECTIVES: To describe the frequency and susceptibility profile of Pseudomonas aeruginosa and Acinetobacter baumannii to carbapenems in the hospital from Fundação Santa Casa de Franca, São Paulo, Brazil.
METHODS: The susceptibility of P. aeruginosa and A. baumannii to carbapenems from 304 clinical isolates between 2007 and 2012 was retrospectively analyzed from a microbiology database at the clinical laboratory of the hospital of Fundação Santa Casa de Franca, São Paulo, Brazil.
RESULTS: From isolated and identified strains, 236 (5.3%) P. aeruginosa were susceptible to imipenem (2007 - 69.6% to 2012 - 41.7%) and meropenem (2007 - 63.3% to 2012 - 25%). In addition, all 68 (1.7%) A. baumannii isolates were susceptible to both antibiotics.
CONCLUSION: A. baumannii resistance to carbapenems was not identified; however, there was a decrease in susceptibility to carbapenems over the years for P. aeruginosa.

Palavras-chave: carbapenêmicos; resistência microbiana a medicamentos; Pseudomonas aeruginosa; Acinetobacter baumannii.

 

Atividade de carbapenêmicos e tigeciclina diante de Escherichia coli e Klebsiella spp. produtoras de ESBL

Caio Fernando de Oliveira; Fernando Ferrugem; Renan V. Schmidt; Daniel Prá; Jorge André Horta

J. Bras. Patol. Med. Lab. 2018;54(1):34-36

RESUMO

O uso indiscriminado de carbapenêmicos na luta contra bactérias Gram-negativas multirresistentes favorece o aparecimento de resistência a esses agentes antimicrobianos. Examinamos a atividade in vitro de carbapenêmicos e tigeciclina em Escherichia coli e Klebsiella spp. isolados de um único hospital, em dois períodos diferentes, separados por oito anos. A resistência aos carbapenêmicos variou de 18,7% em 2007 a 19,1% em 2015/2016. Não encontramos isolados resistentes a tigeciclina, mas dois isolados intermediários no período 2015/2016. A tigeciclina é uma importante opção de tratamento para infecções causadas por bactérias Gram-negativas multirresistentes e ajuda na luta contra a disseminação da resistência aos carbapenêmicos.

Palavras-chave: carbapenêmicos; Escherichia coli; Klebsiella.

 

ABSTRACT

The indiscriminate use of carbapenems in the fight against multidrug resistant Gram-negative bacteria leads to the emergence of resistance to these antimicrobial agents. We examine the in vitro activity of carbapenems and tigecycline against ESBL-producing E. coli and Klebsiella spp. isolated in a single hospital at two different periods eight years apart. Overall resistance to carbapenems ranged from 18.7% in 2007 to 19.1% in 2015/2016. We found no isolates resistant to tigecycline, but two intermediary profiles in the 2015/2016 period. Tigecycline is an important option for treating multidrug resistant Gram-negative infections and helps in the fight against global dissemination of resistance to carbapenems.

Palavras-chave: carbapenêmicos; Escherichia coli; Klebsiella.

 

Prevalência de carbapenemases em enterobactérias com sensibilidade diminuída aos carbapenêmicos isoladas em um hospital de referência terciária

Diana M. Viegas; Valéria M. Soares

J. Bras. Patol. Med. Lab. 2018;54(2):95-98

RESUMO

As infecções causadas por enterobactérias com resistência aos carbapenêmicos são um grave problema de saúde pública. Este trabalho tem como objetivo analisar os mecanismos de resistência relacionados com as enterobactérias com sensibilidade diminuída aos carbapenêmicos isoladas no Hospital Júlia Kubitschek (HJK) da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (FHEMIG), Brasil. Foram encontradas 71 cepas com sensibilidade diminuída aos carbapenêmicos, sendo 45/71 (63,4%) produtoras de Klebsiella pneumoniae carbapenemase (KPC).

Palavras-chave: Enterobacteriaceae; carbapenêmicos.

 

ABSTRACT

Infections caused by carbapenem-resistant Enterobacteriaceae are a serious public health issue. This work aims to analyze the resistance mechanisms related to Enterobacteriaceae with decreased susceptibility to carbapenems isolated at the Hospital Júlia Kubitschek (HJK) of the Minas Gerais State Founding Hospital [Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (FHEMIG)], Brazil. Seventy-one strains with reduced susceptibility to carbapenems were found, and 45/71 (63.4%) were Klebsiella pneumoniae carbapenems (KPC) producers.

Palavras-chave: Enterobacteriaceae; carbapenêmicos.

 

Associação molecular de fatores de patogenicidade e resistência a múltiplos antimicrobianos em linhagens de Acinetobacter baumannii recuperados de pacientes com doenças infecciosas diversas

Rafaela O. França; Priscila S. Costa; Guilherme Luiz Milanez; Maria Rosa Q. Bomfim; Ricardo Gonçalves; Luiz M. Farias; Vandack Nobre; Simone G. Santos

J. Bras. Patol. Med. Lab. 2018;54(5):288-295

RESUMO

INTRODUÇÃO: O sucesso das infecções por Acinetobacter baumannii pode ser atribuído a seus vários fatores de virulência e a mecanismos de resistência a antimicrobianos.
OBJETIVO: Avaliar a presença e a correlação entre diferentes fatores de resistência e virulência em amostras clínicas de A. baumannii.
MÉTODOS: Estudo conduzido em um hospital universitário em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil. A confirmação do complexo Acinetobacter baumannii-calcoaceticus foi realizada pela detecção do gene blaOXA-51, por meio da reação em cadeia da polimerase (PCR), assim como a pesquisa dos genes: blaOXA-23, 24, 58, 143, blaVIM-1, csuE, ompA e ISAba1. Os antimicrobianos e a expressão das metalobetalactamases (MβL) foram avaliados pelo E-test®; e a diversidade genética, por enterobacterial repetitive intergenic consensus (ERIC)-PCR. A formação de biofilme foi classificada em quatro categorias de acordo com a média da densidade ótica obtida.
RESULTADOS: Do total de amostras, 98,4% (61/62) foram resistentes ao meropenem; 71%, a ceftazidime; e 61,3%, a ampicilina-sulbactam; enquanto 98,4% foram sensíveis a polimixina B; e 48,4%, a tigeciclina. A produção de MβL foi detectada em 95,2% das amostras. O gene blaOXA-51 foi detectado em todas as amostras testadas; blaVIM-1, em 83,9%; e ISAba1, em 90,3%. Por outro lado, os genes csuE e ompA estiveram presentes em 43,5% e 53,2% das amostras, respectivamente.
CONCLUSÃO: Houve uma possível correlação entre as amostras resistentes a gentamicina e aquelas positivas para o gene ompA. O gene csuE correlacionou-se positivamente com ISAba1.

Palavras-chave: Acinetobacter baumannii; fatores de virulência; epidemiologia molecular; infecção hospitalar.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: The success of Acinetobacter baumannii infections can be attributed to its various virulence factors and antimicrobial resistance mechanisms.
OBJECTIVE: To evaluate the presence and correlation between different resistance and virulence factors in clinical A. baumannii strains.
METHODS: Study conducted at a University Hospital in Belo Horizonte, Minas Gerais, Brazil. The confirmation of Acinetobacter baumannii-calcoaceticus complex was performed by detecting the blaOXA-51 gene through the polymerase chain reaction (PCR), as well as the search for genes: blaOXA-23, 24, 58, 143, blaVIM-1, csuE, ompA and ISAba1. Antimicrobials and metallo-betalactamase (MβL) expression were evaluated by E-test®; and genetic diversity, by enterobacterial repetitive intergenic consensus (ERIC)-PCR. Biofilm formation was classified into four categories according to the mean optical density obtained.
RESULTS: 98.4% (61/62) of the strains were resistant to meropenem; 71%, to ceftazidime; and 61.3%, to ampicillin-sulbactam; while 98.4% were sensitive to polymyxin B; and 48.4%, to tigecycline. The production of MβL was detected in 95.2% of the strains. The blaOXA-51 gene was detected in all strains tested; blaVIM-1, in 83.9%; and ISAba1, in 90.3%. On the other hand, the csuE and ompA genes were present in 43.5% and 53.2% of the strains, respectively.
CONCLUSION: There was a possible correlation between gentamicin resistant samples and those that were positive for the ompA gene. The csuE gene correlated positively with ISAba1.

Palavras-chave: Acinetobacter baumannii; fatores de virulência; epidemiologia molecular; infecção hospitalar.

 

Indexadores